A Origem Secreta do Morcego Humano (1989)

Por: Alex The Kid

Nas férias escolares de 1990, minha mãe me presenteou com um dos gibis mais importantes que já li. Trata-se do Superalmanaque DC nº 1 (publicado em janeiro de 1990 pela editora Abril). Sua importância se dá pelo simples fato de que nessa revista estão diversas origens de personagens da DC Comics e sabendo suas origens, eu acabei me situando melhor em muitas histórias.

class of 2021bs business administration
As capas do Superalmanaque DC nº 1, com a origem do Morcego Humano publicada no Brasil pela editora Abril e da primeira aparição do Morcego Humano em Detective Comics nº 400, de 1970.

Observem bem que a capa da revista mostra uma arte detalhada de Brian Bolland (quadrinista de A Piada Mortal – 1988), com a presença de um trio clássico de vilões (Charada, Duas Caras e Pinguim). Porém, o texto de hoje é a respeito de um outro vilão que não está presente na capa mas segue do miolo da revista, trata-se do Morcego Humano, criado em 1970 pela dupla Neal Adams e Frank Robbins.

A história apresentada se intitula A Origem Secreta do Morcego Humano e se passa após a Crise nas Infinitas Terras, trazendo uma versão moderna acerca do primeiro encontro entre Batman e o Morcego Humano. Com roteiro de Jan Steven Strnad, a trama se inicia com Batman tentando impedir um roubo e sendo espancado por um grupo de criminosos equipados com óculos de visão noturna (na história Batman os chama de Gangue do Blecaute). Totalmente indefeso na escuridão, Batman acaba sendo salvo pelo Morcego Humano que, por ser uma criatura híbrida de morcego e humano, possui um radar como o dos animais, além de força sobre-humana e capacidade de vôo.

class of 2021bs business administration (3)
Ao encontrar o Morcego Humano, Batman acredita que a criatura esteja usando um disfarce.

Batman se impressiona com a criatura, porém o confunde com um homem utilizando um disfarce de morcego, como ele próprio. A criatura foge e o Cavaleiro das Trevas decide investiga-la. O roteirista Jan Steven Strnad resume em menos de 20 páginas a transformação do cientista Kirk Langstrom, que fazia pesquisas com morcegos, no assustador Morcego Humano. Langstrom buscava encontrar uma cura para a cegueira, tentando replicar o radar dos morcegos. Porém, ao experimentar sua fórmula em si mesmo, ele acabou se transformando na criatura.

Strnad faz com que Kirk e Bruce Wayne se conheçam na infância, onde vão brincar atrás de uma tela de cinema e encontram um morcego morto. E essa temática acaba sendo uma continuidade, onde morcegos e origens se entrelaçam durante toda a história.

class of 2021bs business administration (4)
Na esquerda, o Morcego Humano salva Batman, na direita a fera toma a mente de Kirk Langstrom.

Eu não sou um apreciador de eventos que conectam origens de heróis e vilões após um cânone já ter sido formado. Strnad acaba fazendo isso de forma superficial. Num experimento de Kirk Langstrom, o cientista tapa os ouvidos de um morcego com cera, porém o animal escapa num vôo errático. Isso faz com que o Batman, que escutara essa história de Francine (mulher da Langstrom), considere a hipótese de que o morcego que quebrou sua vidraça na Mansão Wayne e o inspirou, seja o morcego que Langstrom deixou fugir.

A arte na história é do quadrinista Kevin Nowlan, que eu não sou um fã e não gostei dos seus desenhos em A Origem Secreta do Morcego Humano, mas me recuso a depreciar seu trabalho, pois há qualidade presente. Fiquei um longo tempo sem encontrar a arte do quadrinista, até que comprei Super-Homem Versus Aliens (publicada em maio de 1997 pela editora Abril). Nowlan finalizou a arte de Dan Jurgens nesta minissérie. Existem outras obras do artista bem conhecidas. Ele concebeu a logomarca do Hellboy e também trabalhou nas artes conceituais do próprio Morcego Humano para a animação do Batman de 1992, inclusive o personagem é o vilão do 1º episódio da série, intitulado Asas de Couro (On Leather Wings).

class of 2021bs business administration (1)
Nowlan fez o esboço do Morcego Humano para a série animada do Batman (1992) e também criou a logomarca tradicional do personagem Hellboy.

O Morcego Humano não é necessariamente mau. Seu alter-ego constantemente tenta controla-lo, mas nem sempre isso é possível e o personagem alterna nos quadrinhos e em outras mídias, momentos em que trabalha com o Batman e momentos em que seu lado animal se torna uma besta irracional e muito perigosa. Sua origem por Nowlan e Strnad é exagerada e foi modificada com o passar dos anos. Sua presença nos quadrinhos é inconstante, mas o personagem segue importante no hall de aberrações de Gotham City.

Anúncios

Um comentário em “A Origem Secreta do Morcego Humano (1989)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s