Batman nº 0 – Série 03 Abril (1990)

Por: Alex The Kid

Em 1990 com apenas 10 anos de idade, eu iniciaria um hábito que perdura até os dias de hoje. Tal hábito consiste em ler regularmente quadrinhos do Batman e, desde então, O Homem Morcego é meu super-herói favorito (Superman e Homem-Aranha estão quase empatados com ele).

O meu primeiro contato com uma HQ do Batman foi despretensioso. Eu estava andando com minha mãe pelas ruas do bairro da Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro, quando entramos numa banca de jornal e eu me deparei com dois quadrinhos sendo vendidos em um pacote. Batman nº 0 e Superalmanaque DC nº 1. A primeira HQ era uma edição em formato americano que buscava, na minha concepção, vender o Batman para um público mais maduro, já a segunda HQ, em formatinho, tratava-se de um compilado de histórias de origem pós Crise nas Infinitas Terras, que inclusive fazia um apanhado de alguns vilões do Batman através do ótimo arco Secret Origins (republicado pela Panini recentemente com o título Origens Secretas: Os Maiores Vilões de Gotham).

Batman Jim Starlin 1
A história de Batman nº 0 é simples, porém possui um elemento até então inédito, que é um lado negativo do temperamento de Thomas Wayne.

Eu peguei os quadrinhos na banca, mostrei pra minha mãe e pedi pra ela comprar. Foi então que ouvi uma pergunta clássica: “Você vai ler, ou vai apenas ver os desenhos da revista?” Eu respondi rapidamente que leria. Sucesso! Fui pra casa com dois quadrinhos excelentes!

Nessa matéria iremos focar em Batman nº 0, que tem apenas uma história em seu miolo, com o título: Desejo Fatal. O roteiro é do aclamado Jim Starlin e a arte é de ninguém menos que Jim Aparo, um quadrinista que eu trato como referência quando o assunto é Batman. Aparo desenhou o Morcego por décadas e não poderia ser outro artista fazendo a arte da minha primeira HQ do herói. Sua qualidade é algumas vezes questionada (seu traço varia de forma limitada), mas eu gosto demais! Apesar de não ser perfeito, Aparo possui um traço clássico que combina muito bem com o Batman. A expressão séria que o artista impõe na face do herói me agrada.

A trama de Desejo Fatal traz um Homem Morcego diferente daquele que eu costumava assistir nas animações da TV, no seriado da década de 1960 e do filme de Tim Burton (1989), que havia sido um sucesso arrebatador. A revista apresenta um Batman sisudo, sem seu parceiro mirim (Robin /Jason Todd havia sido morto pelo Coringa) e pronto para agir. Seu alvo é um atirador que está no topo de um edifício em Gotham.

Class of 2021BS Business Administration
A frase do atirador desperta uma memória negativa do Batman e  desconcentra o heroi.

O roteiro aplica um elemento inédito, através de um flashback, que consiste num tratamento áspero de Thomas Wayne em relação a Bruce. Thomas agride Bruce após o jovem insistir para que o pai largasse o trabalho para brincar. Quando li isso, com 10 anos de idade, não me surpreendi. Porém hoje, já experiente na leitura de quadrinhos do Batman, e relendo essa HQ que ficara décadas no armário, acho um tanto chocante essa agressão, pois a minha concepção da personalidade de Thomas Wayne, não combina nada com a de um pai agressivo.

Tal momento é retratado na história, após o atirador proferir a frase: “Quero que vocês morram”! Tal frase faz com que Batman se perca nas memórias ruins envolvendo seu próprio pai e o distraem. O Cavaleiro das Trevas falha e o resultado final de sua missão é negativo.

Batman não é um herói que possui o hábito de ter devaneios em missões. Sua desconcentração é toda atrelada ao momento negro de sua carreira. O Morcego está mais atormentado que o usual e isso é facilmente identificado num diálogo com o Comissário Gordon, que ao perguntar ao heroi se Robin não veio com ele, recebe como resposta um monossilábico “não”.

Com poucos diálogos, Desejo Fatal foi a história perfeita para que eu, no auge dos meus 10 anos de idade, quisesse saber mais sobre esse Batman dos quadrinhos, um herói tão diferente daquele que eu assistia na TV.

Batman Jim Starlin 2
O quadrinista Jim Aparo faleceu em 2005. Seu traço é uma referência.

A edição de Batman nº 0 traz mais dois detalhes interessantes, sendo o primeiro deles um teaser da história As Muitas Mortes de Batman, publicada na edição seguinte e o segundo é um mapa descritivo de todos os bairros, além de um breve resumo sobre a história de Gotham City. Nesse resumo, o leitor entende um pouco mais sobre a cidade de 8 milhões de habitantes, localizada na Costa Leste dos EUA. O texto ainda conta que a fortuna dos Wayne se iniciou com Darius Wayne, que recebeu como compensação por um ato heroico, um lote de terras no sul da cidade.

Batman nº 0 (1990), marca o início da 3ª tentativa da editora Abril de sequenciar um título do Cavaleiro das Trevas. Porém, não se obteve o sucesso necessário e a revista acabou naufragando na sua 29ª edição em junho de 1992. Os brasileiros só voltariam a ver um título solo do Morcego em março de 1995, no meio da saga A Queda do Morcego.

P.S. Para pesquisa sobre quadrinhos, recomendamos o site: http://www.guiadosquadrinhos.com/

Anúncios

Um comentário em “Batman nº 0 – Série 03 Abril (1990)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s